11.6.08

navegar é preciso..e poetar também

13 de junho

Além de ser dia de Santo Antônio, de fazer pedidos pra casar, de dançar quadrilha, comer canjica, beber quentão e pular a fogueira(tem algumas atividades juninas por aí, nesse blog), é dia de lembrar que há 100 anos, nascia o Poeta Fingidor: Fernando Pessoa.
Aquele poeta que, parafraseando uma frase latina escreveu:

“Navegadores antigos tinham uma frase gloriosa: "Navegar é preciso; viver não é preciso."
Quero para mim o espírito desta frase, transformada a forma para a casar com o que eu sou: Viver não é necessário; o que é necessário é criar.”


E por não se cria tanta poesia na escola? Por que é um gênero textual que só é lembrado em apresentações de auditório?

Talvez porque a gente pense que poesia é difícil, que precisa ser um “ser iluminado” para escrever um texto poético.
Mas, não precisa ser gênio. Pois, como dizia o mestre Drummond, “fazer poesia é 10% de inspiração e 90% de transpiração”, de trabalho com as palavras, de aprender a usá-las, transformá-las, mudar seus sentidos.

Que tal começar com seus alunos, reescrevendo, transformando esta poesia de José Paulo Paes:

"Poesia é... brincar com as palavras

como se brinca com bola,

papagaio, pião.

Só que bola, papagaio, pião

de tanto brincar se gastam.

As palavras não:

Quanto mais se brinca com elas,

mais novas ficam.

Como a água do rio

que é água sempre nova.

Como cada dia que é sempre um novo dia.

Vamos brincar de poesia? "



Quer mais dicas para trabalhar com poesia? Veja no site da Ed. Moderna.

E, se quiser saber mais sobre Fernando Pessoa é só ler neste link.

E tem vídeos dos especiais sobre o Poeta, no site da Globo News.
Related Posts with Thumbnails