17.10.09

E o vencedor ...

Escolhi o texto da professora Vilma.Os critérios de escolha, além da coerência, coesão,adequação ao tema, estas coisas que todo professor de português faz(quase no piloto automático,rssss..), adicionei mais um critério que foi verificar se a indicação do livro condizia com os relatos da prática pedagógica.

A professora Vilma tem 26 anos de magistério e trabalha no ensino fundamental e em curso de formação de professores.Só ainda não sei de onde ela é, porque ela não colocou esta informação no texto.

Leia o depoimento da professora:
"Eu estava tremendamente cansada, frustrada, louca para me aposentar, já que não havia nenhuma novidade. Todos os dias eram iguais:sempre ensinando as mesmas coisas e para alunos que não se emocionavam.
Foi então que numa semana do professor, soube que haveria uma oficina sobre literatura.Fui até lá, sem muita expectativa, já que eu achava que sabia tudo sobre literatura.Afinal ,esta era minha formação profissional.
O início da oficina com a professora Luiza, não me empolgou.Parecia a mesmice de sempre.Aquele papo de incentivar o gosto pela leitura, blá,blá,blá... que a gente sabe que não é bem assim que funciona, pois só lemos aquilo que apresenta algum objetivo para nós, não é?
Na segunda etapa, a professora leu um texto.No início, não dei muita confiança(só estava lá pra cumprir carga horária, né?), mas o grupo de professores que estava participando foi ficando calado.E eu também comecei a prestar atenção.
Era um texto que falava sobre literatura infantil, que questionava algumas coisas que para mim sempre pareceram perfeitas, que para mim eram ideais para trabalhar com crianças e para repassar a metodologia de uso para minhas alunas do curso de pedagogia.
Fiquei em choque.Tudo o que considerava como certo e sabido, havia caido por terra.
É claro que pedi as referências do texto para a professora.Ao final da oficina ,agradeci muito a ela pelo momento de aprendizagem que havia me proporcionado.
No dia seguinte, comprei o livro.Li de uma vez só. Reli,escrevi ao lado dos textos, marquei parágrafos,fiz anotações.E na semana seguinte, mudei todo o meu planejamento de atividades. O meu trabalho com literatura mudou radicalemnte.
Descobri que aquele marasmo que eu sentia, em mim e nos alunos, estava relacionado à pouca paixão que eu sentia pelos livros que estava adotando.

Desde então tenho trabalhado com outros objetivos.Para os alunos pequeninos faço questão de analisar muito bem os livros de literatura que vamos trabalhar.A primeira coisa que analiso é a linguagem do livro, verificando se ela respeita e inteligência de meus alunos.
Com os alunos do curso superior, a leitura do livro que me envolveu passou a ser leitura obrigatória e a partir desta leitura temos criados técnicas de análise de literatura infatil e juvenil.

Bom,o livro é "O estranho mundo que se mostra as crianças", a autora é Fanny Abramovich,(que tive a o prazer de conhecer há alguns anos) e é da editora Summus.
É um livro que recomendo a todos que trabalham com crianças e com formação de professores.


Ah, estou doida pra ganhar este livro da menina que roubava livros.Mas, se eu não ganhar não tem problema, pois foi a primeira vez que pude compartilhar minha história com alguém."


Vilma,foi um prazer ler seu texto e verificar que mesmo depois de tantos anos de magistério ainda encontramos professores que têm a coragem de mudar sua prática.
Parabéns pela mudança e pela mudança que você, com certeza, provocou em seus alunos.E você tem razão sobre este livro. Ele realmente é ótimo. Pena que não seja tão divulgadao e,talvez, por isto, a gente ainda encontre tanta bobagem escrita por aí, com rótulo de literatura infanto-juvenil.

Muito obrigada pela sua participação e, por gentileza, mande seu endereço, para que eu possa enviar seu livro.

Obrigada também aos outros 15 colegas que enviaram seus textos.
Interessante é que 3 deles se referiram ao mesmo livro:Linguagem e Escola: uma perspectiva social, da Profª Magda Soares, editora Ática. Aliás, excelente livro, que deveria ser leitura obrigatória para qualquer professor.

E quanto ao meu livro,aquele que me deu uma sacudida,é este aqui:


Referência:Quando eu voltar a ser criança.Janusz Korczack, Editora Summus, São Paulo.
Há informações sobre o autor e sua obra, na Wikpédia.Clique aqui, para conhecer.

Sugiro que você aproveite as próximas férias para ler.Independente da disciplina ou conteúdo com o qual você trabalhe, depois de ler este livro nunca mais você vai olhar para uma criança do mesmo jeito.

Obrigada a todos que participaram. Em dezembro tem mais, ok?
Related Posts with Thumbnails